Tuesday, 31 May 2016

Palácio dos Condes de Redondo (Bairro Camões)

Edificado no 3º quartel do séc. XVII, por iniciativa do 7º ou 8º Conde de Redondo, este palácio, classificado como Imóvel de Interesse Público e traduzindo um exemplar de arquitectura residencial barroca, resistiu ao Terramoto de 1755 sem danos significativos. 

Palácio dos Condes de Redondo [1930]
Rua de Santa Marta, 56 a 56-E
Fotógrafo não identificado, in Arquivo do Jornal 'O Século'

De planta rectangular composta por quatro alas em torno de um pátio também rectangular, apresenta volumetria paralelepipédica. A extensa fachada principal, desenvolvida em dois pisos, é constituída por sete corpos contíguos delimitados por pilastras toscanas, encontrando-se rasgada a um ritmo regular por duas ordens de 22 janelas, sendo as do andar nobre de sacada com guardas de ferro forjado e encimadas por cornija. O portal, emoldurado a cantaria e coroado por um friso com tríglifos, sobrepujado por frontão triangular interrompido no vértice, dá acesso ao pátio interior, no centro do qual existe uma cisterna seiscentista com guarda de cantaria. 

Palácio dos Condes de Redondo [193-]
Rua de Santa Marta, 56 a 56-E
Eduardo Portugail, in AML

No interior merecem destaque a escadaria desenvolvida a partir do átrio situado ao fundo do pátio, assim como algumas salas com tectos apainelados e estuques pintados. Tendo passado pelas mãos de vários proprietários, está ocupado actualmente pela Universidade Autónoma de Lisboa, que aí funciona desde os anos 80 do séc. XX.

Palácio dos Condes de Redondo, jardins [9 de Junho de 1880]
O Bairro Camões foi inaugurado em 9 de Junho de 1880, (compreendia as Freguesias do Coração de Jesus e de São Jorge de Arroios) por ocasião do 3º centenário da morte de Luís de Camões. Para a ocasião foi armado um coreto pavilhão nos jardins do Palácio dos Condes do Redondo.
Rua de Santa Marta, 56 a 56-E
José Artur Leitão Bárcia, in AML

3 comments:

  1. Muito bom Blog! Com história e trechos de texto!

    Uma sugestão, juntamente com as fotos antigas se colocasse uma foto actual para verificar a transformação seria muito interessante!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Grato pelo apreço. Quanto à sua sugestão já existem outros sites que fazem esse tipo de comparações. De qualquer modo - e com o surgimento do Google - é fácil aos leitores fazerem a pesquisa se a tal estiverem interessados.

      Delete
  2. No final de 80, faziam-se obras para o que veio a ser a universidade, entrei para ver o interior e assisti aos trolhas a partirem toda a azulejaria azul e branca duma da salas. Não havia um intacto... Fui logo embora. Não podiam ter sido salvos?...

    ReplyDelete

Web Analytics